Alerta

Ventos de até 87 km/h derrubam árvore e placa de sinalização em Pelotas

Marinha do Brasil alerta para que as embarcações pequenas evitem a navegação; rajadas de vento chegaram a 108 quilômetros por hora em Rio Grande

19 de Maio de 2017 - 10h56 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Uma árvore foi derrubada pelo vento na rua Princesa Isabel na madrugada desta sexta-feira (Foto: Leandro Lopes)

Uma árvore foi derrubada pelo vento na rua Princesa Isabel na madrugada desta sexta-feira (Foto: Leandro Lopes)

Moradores do entorno chamam a atenção para o estado das árvores que resistiram; estruturas pesadas estão inclinadas (Foto: Leandro Lopes)

Moradores do entorno chamam a atenção para o estado das árvores que resistiram; estruturas pesadas estão inclinadas (Foto: Leandro Lopes)

Placa de sinalização turística também foi derrubada pelo vento na rua Padre Anchieta (Foto: Divulgação)

Placa de sinalização turística também foi derrubada pelo vento na rua Padre Anchieta (Foto: Divulgação)

Os ventos que tomam conta do Sul do Brasil chegaram com força total entre a noite de quinta-feira (18) e a madrugada de sexta, em Pelotas. Na praia do Laranjal, as rajadas atingiram 83,3 quilômetros por hora às 23h56min, conforme apontou a estação meteorológica instalada no balneário pelo acadêmico do curso de Meteorologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Gabriel Cassol. O Centro de Pesquisa e Previsão Meteorológica da UFPel (Cppmet) confirmou os dados, sendo que a tendência para o longo desta sexta é de que os ventos sigam fortes, atingindo picos de até 82 quilômetros por hora. Em Rio Grande, a praticagem da Barra registrou ventos de 108 quilômetros por hora às 9h desta sexta. O Porto suspendeu qualquer movimentação de entrada e saída de navios.

Cassol explica que "o Nordestão ainda está intenso e por volta das 9h30min de hoje (sexta) bateu 79 quilômetros por hora". A previsão é que, ao longo do dia, a intensidade do vento diminua, mas não cesse totalmente. "A preocupação é com o avanço da água na Lagoa dos Patos, que pode voltar a atingir os moradores do Pontal da Barra." Os dados da estação no Laranjal podem ser acompanhados neste link.

Avarias
A meteorologista da Cppmet, Carina Padilha, informou que a rajada mais forte registrada em Pelotas foi por volta do meio-dia de quinta-feira: 87,1 quilômetros por hora. Já na madrugada de sexta, mesmo com redução na intensidade - média superior aos 50 quilômetros por hora -, o vento provocou a queda de uma árvore na rua Princesa Isabel, entre Almirante Barroso e Santa Cruz. A queda aconteceu por volta das 2h. Os bombeiros foram chamados e precisaram serrar galhos dos troncos vizinhos para evitar maiores estragos. Moradores do entorno chamam a atenção para o estado das árvores maiores. As estruturas estão inclinadas para o meio da rua e as raízes já começam a levantar a calçada, o que causa um grande risco para pedestres e motoristas.

Na rua Padre Anchieta, em frente ao estádio Boca do Lobo, uma placa de sinalização turística também foi atingida pelo vento e caiu sobre a via. Ela foi retirada na manhã desta sexta por equipes da prefeitura. No Laranjal, embora as rajadas tenham sido intensas, a administração municipal e a Brigada Militar não receberam registros de avarias. A reportagem não conseguiu falar com a Defesa Civil.

Previsão de alerta
A Marinha do Brasil emitiu alerta para ressaca no Rio Grande do Sul e no Sul de Santa Catarina. Até segunda-feira, a agitação no mar se intensifica em toda a costa Leste do Brasil. Serão dias de águas agitadas, com grandes ondas e em extensas áreas oceânicas que vão exigir atenção redobrada dos navegantes no Atlântico Sul. As embarcações pequenas devem evitar a navegação.

A praticagem da Barra de Rio Grande está suspensa desde às 21h de quinta-feira. As ondas que ultrapassaram a marca dos quatro metros impediram a entrada e saída de navios. Na manhã desta sexta, por volta das 9h, as rajadas de ventos foram 108 quilômetros por hora.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados