Trabalho

O “faz-tudo” da comunidade rural

Antigos subprefeitos, hoje administradores distritais, são cargos em comissão e o principal elo entre o Executivo e a comunidade da colônia

17 de Junho de 2017 - 14h26 Corrigir A + A -
Luiz Fagundes está no cargo há 13 anos (Foto: Paulo Rossi - DP)

Luiz Fagundes está no cargo há 13 anos (Foto: Paulo Rossi - DP)

Popularmente conhecidos como subprefeitos, os administradores distritais desempenham uma função de auxílio ao Poder Público. É até eles que a população da colônia se dirige quando a solução para algum problema passa pelo Executivo municipal. Pelotas atualmente conta com oito administradores distritais. Eles ocupam cargos em comissão dentro da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e são o elo dos serviços públicos municipais com os distritos. Monte Bonito, Z-3, Cerrito Alegre, Triunfo, Cascata, Santa Silvana, Rincão da Cruz e Quilombo possuem administradores e uma pequena estrutura para, principalmente, dar manutenção em estradas e pontes e levarem demandas para a prefeitura.

Carlos Holz está no cargo desde o dia 1º de junho. Nestas primeiras duas semanas frente à subprefeitura do Monte Bonito, Holz conta que está atacando o que chama de pontos prioritários. “Como esta última semana fez uns dias bons de sol, conseguimos patrolar e colocamos aterro nos locais mais necessitados”, conta. Uma equipe com duas patrolas, duas retroescavadeiras e dois caminhões caçamba atende o Monte Bonito, a Cascata e o Quilombo. Além desta estrutura, a sede local da administração conta ainda com quatro trabalhadores da empresa Sersul, terceirizada para a limpeza urbana, que executam serviços pesados.

“A comunidade também procura se tem problema no postinho, se falta médico, se dá problema com os Correios. Qualquer coisa, eles nos procuram”, explica Holz. Carlos é morador do Passo do Pilão, na localidade, o que facilita a relação com a população. O principal problema enfrentado nestas primeiras semanas de trabalho, relata, está em conseguir o número necessário de cargas de cascalho e brita para melhorar as estradas.

Cotidiano
Na estrada à beira da Lagoa dos Patos, Luiz Fagundes, ou Alemão, como é chamado na comunidade, dirige um antigo trator, corrigindo a via após uma semana inteira de chuvas. O caminho que liga o Balneário dos Prazeres à Colônia Z-3 está em boas condições, apesar do tempo instável. Fagundes é administrador distrital há 13 anos e morador do local desde a juventude. Ele mesmo dirige o trator e, segundo relato de moradores, toma a frente de serviços pesados, como desobstrução de valas de drenagem, por exemplo. “Ele faz o que pode. Até entra nas valetas com enxada”, conta o morador da comunidade, o aposentado João Hypólito da Silva, 68.

Fagundes conta que, se a comunidade tiver algum problema na escola ou na Unidade Básica de Saúde (UBS), também o procura. “É tudo comigo.” Para os trabalhos, ele conta com outros três funcionários da Sersul e dois da prefeitura. O maquinário é escasso: apenas um trator antigo e um caminhão caçamba. A pescadora Ivonete Rodrigues, 53, e a comerciante Lenir de Freitas, 49, conversavam enquanto varriam a frente das casas, localizadas na travessa Marte Magalhães de Matos. A rua tem problemas de drenagem e, em dias de chuva intensa, acumula água e fica difícil sair de casa.

Na manhã em que a reportagem esteve no local conversando com Luiz, o administrador adiantou que, depois de terminar a manutenção da via que dá acesso ao distrito, os próximos trabalhos seriam nas ruas centrais do vilarejo de pescadores.

Funcionamento
Os oito administradores estão ligados ao secretário Jair Seidel, da SDR, que já efetuou duas trocas de servidores. No Monte Bonito e no Rincão da Cruz, Seidel trocou o comando das subprefeituras. Dos outros seis, cinco estão no cargo desde 2014 e um desde 2005. Todos eles ocupam cargos de confiança. A troca, explica Seidel, partiu após uma consulta nas comunidades, nas associações de moradores, em sindicatos rurais e na Emater. Todos são moradores da colônia, não necessariamente na comunidade em que atuam. “Com o maquinário disponível fica impossível estar presente em todos os distritos diariamente, por isso optamos por este formato”, esclarece Jair.

Conforme o secretário, eles cuidam de estradas, pontes e pontilhões, fazem roçadas e podas, além de desobstruírem canais de drenagem. “Eles trazem demandas e levam soluções”, resume Seidel. E adianta que, para o próximo ano, deve ser priorizada a colocação de pavimento ou blocos de concreto nos pequenos conglomerados urbanos, além de aumentar o número de pontes de concreto. As administrações distritais trabalham de segunda a sexta, das 7h30min às 11h30min e das 13h às 17h.

Salários dos administradores distritais
R$ 2.151,15

Estradas no interior
1.200 km

Pontes/pontilhões
Madeira - 358
Concreto - 54

Equipes
3 equipes para 8 localidades - Uma atende duas comunidades e as outras duas atendem três distritos cada.

Administradores
2º distrito - Colônia Z-3 - Luiz Fagundes
3º distrito - Cerrito Alegre - Zelmuth Tessmann
4º distrito - Triunfo - Flávio Harms
5º distrito - Cascata - José Proença
6º distrito - Santa Silvana - Leandro Costa
7º distrito - Quilombo - Elias Conrad
8º distrito - Rincão da Cruz - Martin Santos
9º distrito - Monte Bonito - Carlos Holz


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados