Ouros

Para ficar marcado

Brasileiros Evandro e André viram set “perdido”, calam arena lotada e levam o ouro em Viena; Nas quadras, meninas faturam o Grand Prix pela 12ª vez

07 de Agosto de 2017 - 09h12 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Atletas não esconderam a alegria com a conquista (Foto: Divulgação - DP)

Atletas não esconderam a alegria com a conquista (Foto: Divulgação - DP)

As duplas brasileiras se acostumaram a calar arenas lotadas no Campeonato Mundial de vôlei de praia. Evandro e André Stein escreverem seus nomes na história ao se tornarem campeões na manhã de deste domingo (6) após vencerem por 2 sets a 0 (23/21 e 22/20) os austríacos Doppler e Horst, no estádio montado em Viena, após 57 minutos de jogo.

O carioca e o capixaba repetem Alison e Bruno Schmidt, que silenciaram a torcida holandesa em 2015, ao também vencerem os donos da casa Varenhorst e Nummerdor. É a sétima vez que uma dupla masculina brasileira conquista o título do Campeonato Mundial, realizado desde 1997 e disputado de dois em dois anos.

O triunfo contou com uma reação espetacular no primeiro set, quando os austríacos tiveram três set points, mas Evandro anotou três aces seguidos para virar o placar. Ao todo foram seis pontos de saque do gigante de 2,10m, que também anotou um de bloqueio e sete no ataque. Evandro terminou o torneio como melhor sacador, tendo acertado 43 aces. O segundo colocado, o polonês Losiak, anotou quase a metade: 22.

Evandro/André repete o feito de Rogério “Pará”/Guilherme Marques (1997), Loiola/Emanuel (1999), Emanuel/Ricardo (2003), Márcio Araújo/Fábio Luiz (2005), Alison/Emanuel (2011) e Alison/Bruno Schmidt (2015). É o primeiro título de Campeonato Mundial para os dois jogadores, comandados pelo técnico Ednilson Costa. Evandro já tinha uma medalha de bronze, conquistado em 2015, ao lado de Pedro Solberg. Somando os naipes masculino e feminino, são 31 medalhas no torneio, sendo 12 de ouro, nove de prata e dez de bronze.

A campanha ao título contou com sete vitórias e apenas uma derrota, ainda na fase de grupos, e apenas três set perdidos em 17 disputados. O título dá ao time brasileiro um prêmio de 60 mil dólares e 1.600 pontos no ranking do Circuito Mundial 2017. A medalha de bronze ficou com os russos Krasilnikov/Liamin, que venceram os holandeses Varenhorst/Van Garderen.

Nas quadras, o topo do mundo para as meninas

A Seleção Brasileira feminina de vôlei é campeã do Grand Prix pela 12ª vez. A equipe do treinador José Roberto Guimarães venceu também no domingo a Itália na final por 3 sets a 2 (26/24, 17/25, 25/22, 22/25 e 15/8), em Nanjing, na China. O resultado coroou o início do ciclo olímpico da nova geração do voleibol brasileiro em uma campanha marcada pela superação. A Sérvia ficou com a medalha de bronze ao superar a China por 3 sets a 1 (25/22, 20/25, 25/23 e 25/21).

Com o resultado, o time verde e amarelo aumentou o número de conquistas em relação à segunda seleção com mais títulos. Enquanto as brasileiras venceram pela décima segunda vez (1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013, 2014, 2016 e 2017), os Estados Unidos, segunda equipe com mais conquistas, têm seis.

Seleção do Grand Prix
MVP: Natália Pereira (Brasil)
Melhor levantadora: Ding X. (China)
Melhor ponteira: Zhu (China)
2ª melhor ponteira: Natália (Brasil)
Melhor central: Bia (Brasil)
2ª melhor central: Rasic (Sérvia)
Melhor oposto: Boskovic (Sérvia)
Melhor líbero: De Gennaro (Itália)


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados