Tiroteio

Violência marca final de semana no Getúlio Vargas em Pelotas

Após troca de tiros, que durou cerca de 10 minutos, um homem foi morto e dois carros incendiados

10 de Setembro de 2017 - 21h23 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Crime aconteceu por volta das 20h30min na Zona Norte de Pelotas. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Crime aconteceu por volta das 20h30min na Zona Norte de Pelotas. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O loteamento Getúlio Vargas, nas Três Vendas, viveu tensos momentos durante a noite deste domingo. Por cerca de dez minutos, criminosos trocaram tiros na rua Nove e deixaram os moradores das redondezas com medo de balas perdidas. Pelo menos um jovem, entre 20 e 30 anos, foi alvejado e morreu no local. Até o fechamento desta edição, o homem não havia sido identificado. Além de um homicídio, dois carros também foram queimados. 

Durante a troca de tiros, um veículo Focus caiu em uma das valetas e ficou totalmente destruído pelas chamas. Na rua Quinze, esquina com a Nove, outro veículo ainda queimava quando a reportagem chegou ao local. Os bombeiros foram chamados para conter o fogo. Este segundo veículo ainda não havia sido identificado pela Brigada Militar.

Conforme um dos policiais presentes no local, os veículos não seriam oriundos de roubos. Com o corpo do jovem embaixo de um lençol branco, policiais aguardavam a chegada da perícia para uma posterior identificação. Ninguém do bairro identificou a vítima para a polícia, que acredita que ele não morava no Getúlio Vargas.

Segundo um morador do local, a única saída foi se atirar embaixo da cama e aguardar o fim do tiroteio. O clima entre na comunidade era de medo. Outra moradora da região relatou que tiros atravessaram paredes de sua casa.

"Não tem o que a gente fazer, com as paredes de madeira, a única saída é se atirar no chão e esperar", disse uma moça, que reside na rua onde aconteceu o crime. A primeira hipótese levantada pela polícia é que tenha sido uma briga entre facções.

A Delegacia de Homicídios e Desaparecidos (DHD) investiga o caso.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados