Discurso, peso e melodia

Suburban Stereotype lança o primeiro disco, "Leitmotiv"

São 14 faixas que percorrem caminho entre o skate punk e o hardcore melódico

26 de Outubro de 2017 - 11h30 Corrigir A + A -
Banda se consolidou com a formação de um quinteto (Foto: Divulgação - DP)

Banda se consolidou com a formação de um quinteto (Foto: Divulgação - DP)

Leitmotiv é o termo cunhado pelo compositor alemão Richard Wagner para denominar o uso de tema que, pela repetição, identifica personagens em óperas. É também o título do disco lançado nessa semana pela banda de hardcore Suburban Stereotype. No álbum, o que se repete do início ao fim, e por consequência caracteriza o quinteto, é o peso, a contestação ao sistema e as melodias bem trabalhadas. O lançamento é da Hardcore Pride Records.

A locomotiva do grupo iniciou seu caminho em 2012 com o lançamento do single Carnaval, futuramente alçado a faixa-título de EP lançado em 2013. Durante a turnê de tal trabalho, o grupo transitou por diversas cidades do país, tornou-se referência no hardcore pelotense e passou na sequência por pausas e transformações até retomar a solidez ao ser formada por Augusto "Chassa" (vocal), Pedro Bittencourt "Cascatinha" (guitarra), Maicon Rodrigues "Tesouro" (guitarra), Douglas "Tio" Jardim (baixo) e Rodrigo Esmute (bateria).

As mudanças causaram mudanças na sonoridade e o skatepunk dos anos 1990 ganhaou toques de hardcore melódico dos anos 2000 nas 14 faixas que formam Leitmotiv. "Pode-se notar uma diferença gritante nas guitarras e vozes, que dizem respeito justamente aos membros mais novos da banda", comenta Esmute, que assina também a produção do trabalho. "Focamos muito na parte da prévia, para deixar tudo funcionando perfeitamente antes de gravar, e na captação do som pra conseguirmos a melhor performance e sonoridade possíveis. Todas as faixas foram gravadas sem metrônomo, com um microfone no corredor do estúdio para captar a sala da bateria e depois mixadas com pouquíssimo processamento", prossegue.

Há, porém, sequência no forte posicionamento político, principalmente em Desconstrução e Sem temer, mesmo que tal característica seja agora acompanhada a autorreflexão de Erga-se e Somos um só.

Turnê e união
Ainda não há shows marcados para um lançamento em Pelotas, mas a Suburban Stereotype pegará a estrada no próximo mês. Serão cinco shows entre 2 e 5 de novembro em Curitiba, São Paulo (no Hangar 110, lendária casa do rock nacional), Cocal do Sul (SC) e Esteio.

A oportunidade se deu através do trabalho coletivo, carcaterística das mais marcantes do hardcore brasileiro. Suburban, Maguerbe, Suerte, Inimigo Eu e Hempadura cansaram de esperar que o mercado fonográfico desse-lhes oportunidades de girar o país e resolveram, pelas próprias bandas, criar o espaço. "Uma banda sozinha é um universo muito limitado. Nós enxergamos que podemos criar uma nova centralidade pra produção cultural, por termos uma identidade sonora no hardcore gaúcho e, mais do que isso, porque a nossa cena não é igual à cena do sudeste. Pelotas estar nessa rota é fundamental pra que as pessoas se reconheçam nesse movimento e queiram formar bandas novas aqui", comenta Tesouro, destacando a criação do Coletivo Apoie o Movimento Underground (AMU) dentro deste processo.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados