Do campo para a mesa

Festa do Morango inicia com produtores confiantes

Primeira edição do evento reúne 20 bancas durante o final de semana na Comunidade Redentor, no 9º Distrito de Pelotas

11 de Novembro de 2017 - 18h42 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Vilson Lima resolveu investir na produção de morangos e está satisfeito com os resultados (Foto: Gabriel Huth - DP)

Vilson Lima resolveu investir na produção de morangos e está satisfeito com os resultados (Foto: Gabriel Huth - DP)

Nas 20 bancas montadas no Monte Bonito, consumidores encontram variedades da fruta e de produtos derivados como sucos, cucas e bolos (Foto: Gabriel Huth - DP)

Nas 20 bancas montadas no Monte Bonito, consumidores encontram variedades da fruta e de produtos derivados como sucos, cucas e bolos (Foto: Gabriel Huth - DP)

A julgar pelo primeiro dos dois dias da Festa Municipal do Morango de Pelotas, as expectativas de organizadores e vendedores devem ser superadas nesta primeira edição do evento. Iniciada neste sábado (11) às 14h, a programação cultural e o comércio da fruta direto dos produtores atraiu muitos visitantes no Monte Bonito, 9º Distrito do município.

A estrutura montada na Comunidade Redentor possui palco para a apresentação de cinco bandas, além do show do cantor Elton Saldanha no domingo. Espaço que se manteve lotado durante toda a tarde de sábado. No entanto, as grandes atrações ficam ao redor do espaço musical. É em volta das 20 bancas repletas de morango e produtos derivados como geleias, sucos, cucas e bolos que o público enche os olhos. E as sacolas.

“Estou levando um pouco de cada coisa para casa, vou dividir com a família toda”, conta o aposentado Elmo Bohlmann, 81. Morador do Areal, aponta a festa como uma oportunidade de encontrar diversidade de produtos feitos com morango e a um preço acessível. “Por isso vim aproveitar o dia de tempo bom para um passeio e comprar uma fruta de qualidade.”

A satisfação do comprador que voltou para a cidade cheio de sacolas se reflete também na confiança de quem produz. Há quem esteja há alguns anos na atividade e veja na festa a chance de melhorar os ganhos. Caso de Leomar Pedrotti, 55, que há três anos investiu na produção de morangos sem uso de agrotóxicos e na safra deste ano, até janeiro, pretende colher pelo menos cinco mil quilos. E há também quem esteja começando e enxergue a possibilidade de se firmar como fruticultor. “Tenho uma pequena empresa na cidade e este ano investi em 4.100 pés de morango. Está dando certo, a aceitação do público tem sido excelente e estimula a produzir mais”, afirma Vilson Lima, 39.

Maior produtividade, melhor preço

Para o chefe do escritório municipal da Emater, nem mesmo o excesso de chuvas dos últimos meses foi capaz de atrapalhar a produção de morango em Pelotas. A razão é a migração do plantio em terra para o semi-hidropônico, que além de exigir até 60% menos defensivos, está mais protegido das intempéries.

“Cada vez mais agricultores estão plantando morango e adotando este método. Hoje Pelotas possui 105 produtores, com 22 hectares da fruta e uma colheita de um milhão de quilos”, contabiliza Francisco de Arruda. O quilo do morango está sendo vendido entre R$ 8 e R$ 10.

Números que animam a prefeitura, que aguarda o fechamento dos números após o encerramento da festa, no domingo às 22h, para estudar a realização de uma segunda edição. O objetivo é fortalecer e organizar ainda mais a cadeia produtiva e estimular mais agricultores a aderirem ao cultivo. “Não são apenas estes dois dias do evento, mas há também o bom resultado das feiras itinerantes, que comercializaram uma média 300 quilos de morango por dia”, avalia o secretário de Desenvolvimento Rural, Jair Seidel.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados