Cuidado

Um mês para a prevenção do câncer de próstata

Campanha nacional Novembro Azul ajuda no diagnóstico precoce da doença e na diminuição do preconceito

13 de Novembro de 2017 - 07h35 Corrigir A + A -

Atualizada às 13h42min para acréscimo de informações

Muda o mês, muda a cor. Se outubro foi o rosa, com campanhas voltadas à prevenção do câncer de mama, novembro é azul e o foco agora é o combate ao câncer de próstata.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), foram 61,2 mil novos casos registrados no período de 2016/2017 no país, contabilizando um total de 28,6% dos casos de câncer em homens. A taxa de mortandade também é alta. Apesar dos avanços no tratamento e nas políticas de conscientização, cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda acabam morrendo.

Médico urologista há cerca de 30 anos, Sérgio Falchi lembra que a partir dos 50 anos a prevenção deve começar. Em casos onde a pessoa tenha parentes em primeiro grau que já tiveram a doença ou câncer de mama, é sugerido a adoção de cuidados antes, próximo aos 45 anos de idade. E para prevenir-se, o exame de toque retal ainda é a forma mais indicada. Apesar da existência do exame de sangue chamado PSA (Antígeno Prostático Específico), esses dados isolados não são uma forma segura de prevenção, de acordo com o especialista.

O ideal, segundo Falchi, é associar os dados de ambos em um mesmo momento. Só assim há uma indicação apurada de o que os dados indicam. Isso porque os exames de sangue podem mostrar algum dado alterado, para mais ou para menos, e a existência ou não do câncer, independentemente disso. O toque retal é a forma utilizada para encontrar o câncer, se houver, e identificá-lo da melhor maneira.

Prevenção
O câncer de próstata não pode ser prevenido, mas há fatores que contribuem para a existência dele e que podem ser evitados. Além da hereditariedade, a idade acima de 65 anos é a que prevalece na incidência da doença, portanto exige um controle ainda maior. O sedentarismo, dietas ricas em gordura e carne vermelha e obesidade também possuem grande influência.

O controle anual ajuda a fazer o diagnóstico na fase inicial, quando as chances de cura são altas. Embora essa prática seja cada vez mais comum, dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) apontam que 20% dos casos ainda são diagnosticados em estágios avançados. Os sintomas da doença demoram a aparecer, por isso, exames de prevenção são a melhor arma para evitar a incidência, de acordo com o médico.

Políticas Públicas e preconceito
Sérgio Falchi lembra que atualmente o preconceito é muito menor do que há 15 anos. Em geral, hoje a preocupação com a prevenção é maior, embora o estímulo ainda parta prioritariamente da influência da família ou de casos em que pessoas próximas tenham tido a doença. Parte disso se dá pelas políticas intensivas de prevenção à doença, em campanhas como o Novembro Azul. O especialista relata que todas as formas de tentar alcançar o público são produtivas e a intensidade com que isso foi feito nos últimos anos ajudou a quebrar o tabu que envolve o exame preventivo.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) também aderiu à campanha preventiva. Visando abordar a saúde do homem em geral, como tabagismo, obesidade e uso de drogas, houve no último sábado à tarde distribuição de material como panfletos conscientizando da importância dos cuidados com a saúde. Foi na Feira do Livro, das 14h às 18h. Já nessa semana as unidades básicas de saúde começaram suas campanhas. Partirá de cada uma a criação de ações e material, de acordo com a assistente social Bianca Medeiros.

Associação também promove campanhas
Vivendo de doações do público, há 12 anos a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan) trabalha para auxiliar quem é diagnosticado com a doença. Assim como no mês anterior, quando foram realizadas campanhas de prevenção ao câncer de mama, em novembro haverá mobilizações para conscientizar contra o câncer de próstata. No entanto, a assessora de comunicação Valéria Cunha lamenta que o engajamento ao Novembro Azul seja muito menor do que ao Outubro Rosa.

Atendendo em média 500 pessoas por mês, entre pacientes e familiares, ela conta que ultimamente a busca por apoio a casos de câncer de próstata cresceu. Neste ano, palestras falando sobre a prevenção serão feitas a profissionais de diversas áreas, como policiais militares e trabalhadores do porto. Além disso, foi realizada campanha de conscientização na Oktoberfest e no GP Rainha da Fronteira no Jockey Club de Pelotas. Já no próximo dia 19 haverá a Pedal Domingueira de Conscientização do Novembro Azul.

O que é a próstata
Glândula presente nos homens, localizada na frente do reto, abaixo da bexiga, envolvendo a parte superior da uretra (canal por onde passa a urina). A próstata não é responsável pela ereção nem pelo orgasmo. Sua função é produzir um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozoides. Em homens jovens, possui o tamanho de uma ameixa, mas seu tamanho aumenta com o avançar da idade.

O câncer de próstata
Na maioria dos casos ele cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida nem a ameaçar a saúde do homem. Em outros casos, pode crescer rapidamente, se espalhar para outros órgãos e causar a morte.

Quais são os sinais e sintomas?
►Dificuldade de urinar
►Demora em começar e terminar de urinar
►Sangue na urina
►Diminuição do jato de urina
►Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.


Adote práticas saudáveis para diminuir o risco
►Tenha uma alimentação saudável
►Mantenha o peso corporal adequado
►Pratique atividade física
►Não fume
►Evite o consumo de bebidas alcoólicas

Fonte: Cartilha Câncer de próstata: Vamos falar sobre isso?/Inca


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados