Estilo Pet

Os pets e os feriados: o que fazer?

Levar o bichinho ou deixá-lo? Entre inúmeros questionamentos, confira as dicas de especialistas

13 de Novembro de 2017 - 11h04 Corrigir A + A -
A escolha por hotel ou contratação de pet sitter (pessoa que cuida dos animais na própria residência) depende muito da personalidade do animal.  (Foto: Divulgação - DP)

A escolha por hotel ou contratação de pet sitter (pessoa que cuida dos animais na própria residência) depende muito da personalidade do animal. (Foto: Divulgação - DP)

Feriados sempre são uma oportunidade para viajar e aproveitar os dias de descanso, mas como ficam os cães e gatos? Essa é uma das maiores preocupações dos donos dos pets, que precisam tomar algumas precauções para deixar o animais ou levá-los na viagem.

Para planejar melhor esses cuidados, a coordenadora de Medicina Veterinária da Universidade Positivo (UP), Thaís Casagrande, e a farmacêutica Sandra Schuster, da docg., dão algumas dicas. Confira:

O que é melhor: hotel ou pet sitter?
A escolha por hotel ou contratação de pet sitter (pessoa que cuida dos animais na própria residência) depende muito da personalidade do animal. Aqueles mais introvertidos ou medrosos podem ficar muito estressados ao serem retirados do ambiente e ter sua rotina alterada. Gatos e cães idosos, são um exemplo disso. Nesses casos, o mais indicado é contratar um pet sitter. Já para os animais mais sociáveis e que precisam de mais exercícios, o hotel pode ser a melhor opção.

Cuidados ao levar o animal para um hotel
O primeiro cuidado é buscar referências com conhecidos ou clientes. O vermífugo e carteira vacinal devem estar em dia e isto inclui a imunização contra a gripe e a raiva. É fundamental lembrar das medicações de uso contínuo com o esquema de horários para administração e, preferencialmente, uma cópia da prescrição médica. Também é fundamental lembrar do antipulgas e carrapaticida, pois o pet terá contato com outros animais e se exercitará em grandes áreas

Cuidados para ficar com um pet sitter
Nesse caso também é fundamental buscar referências do profissional a ser contratado e apresentá-lo ao pet dias antes da viagem, observando como foi a interação entre os dois. O profissional deve ser informado sobre as características do animal, como comportamento, medos, agressividade e preferências.

O pet vai acompanhar a família no carro. Quais os cuidados?
Se o pet ainda não estiver acostumado com passeios de carro ou sentir medo, é preciso acostumá-lo dias antes da viagem. Promova passeios curtos e vá aumentando o tempo aos poucos. Recompensar o animal após o passeio, também é uma boa dica. Nunca prenda o cinto a uma coleira porque, em um impacto, pode causar uma lesão cervical.

As caixas de transporte também são uma opção, mas devem ser presas ao cinto de segurança e ser do tamanho adequado ao pet.

fotopet1311

23555286_1827535633952800_157429253_o


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados