Violência

Homem é executado dentro de veículo na BR-392

Henrique Aquino Marques, de 27 anos, foi morto com um tiro na cabeça dentro de um Onix; o corpo foi largado na estrada entre o posto de pedágio do Capão Seco e a ponte de Rio Grande

08 de Janeiro de 2018 - 20h15 Corrigir A + A -
Corpo de Henrique foi desovado na BR-392, entre o posto de pedágio do Capão Seco e a ponte de Rio Grande (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Corpo de Henrique foi desovado na BR-392, entre o posto de pedágio do Capão Seco e a ponte de Rio Grande (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Onix vermelho foi roubado em Porto Alegre e tinha placas clonadas de Passo Fundo; venda do veículo motivou a discussão que resultou na morte do jovem (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Onix vermelho foi roubado em Porto Alegre e tinha placas clonadas de Passo Fundo; venda do veículo motivou a discussão que resultou na morte do jovem (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Por: Giulliane Viêgas e Leandro Lopes
web@diariopopular.com.br 

Um homem de 27 anos foi morto com um tiro na cabeça na tarde desta segunda-feira (8) na BR-392, entre Rio Grande e Pelotas. Henrique Aquino Marques foi assassinado dentro de um Onix, onde estavam mais duas pessoas. Após a execução, os dois homens estacionaram o veículo e largaram o corpo na rodovia.

De acordo com a Brigada Militar (BM), E.F.C., de 28 anos, e W.C.A., de 26, abordaram a vítima, que estava com a esposa em um posto de combustíveis de Rio Grande, para tratar sobre uma dívida referente à venda do automóvel, que era roubado e tinha as placas clonadas. Eles colocaram Henrique no carro, deixaram a mulher, e seguiram pela estrada em direção a Pelotas. Em depoimento à polícia, um dos suspeitos disse que houve uma discussão e o homem foi morto. O autor do disparo seria E.F.C., com quem a BM encontrou um revólver calibre .38 com munições deflagradas e um par de luvas cirúrgicas.

A descoberta do crime foi possível após uma denúncia de uma pessoa que passava pela rodovia no momento da desova do corpo do homem na BR-392, entre o posto de pedágio do Capão Seco e a ponte Léo Guedes, conhecida como "ponte de Rio Grande". A testemunha contatou a polícia, que passou a perseguir a dupla no Onix, inclusive dirigindo na contramão. Após furar o pneu do carro, os bandidos - ambos de Pelotas - abandonaram o veículo próximo ao quilômetro 57 e seguiram a fuga a pé, sendo presos logo em seguida.

Este é o segundo homicídio de Rio Grande em 2018. O crime será investigado pela Polícia Civil.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados