Operação

Órgão da Secretaria de Saúde cobra a procedência de alimentos

Em 2017 a Vigilância Sanitária contabilizou 62 autuações ao comércio alimentar

09 de Janeiro de 2018 - 22h32 Corrigir A + A -

As fiscalizações a estabelecimentos de comércio alimentar na cidade aumentaram desde a deflagração da Operação Castelo. A ação, realizada há pouco mais de cinco meses, foi responsável por combater o abigeato e venda ilegal de carnes em Pelotas e região. Em 2017 a Vigilância Sanitária (Visa) contabilizou 62 autuações ao comércio alimentar.

De acordo com Sidnei Jorge Júnior, chefe de departamento da Visa, as inspeções estão cada vez mais rígidas e frequentes. “Principalmente na questão da procedência do alimento”, fala. A vigilância orienta aos comerciantes que guardem a nota fiscal até o momento em que o alimento for consumido ou descartado. Caso haja irregularidade, os fiscais recolhem o produto e o descartam em local adequado.

A autuação mais comum segundo Sidnei é quanto à temperatura da carne. Nos açougues e mercados, este alimento precisa ser vendido na mesma condição em que foi comprado. Se veio da indústria congelado, deve ser repassado ao consumidor desse modo. Caso tenha sido adquirido resfriado, também tem de ser vendido resfriado. Já nos restaurantes, a carne congelada precisa ser resfriada antes do preparo, respeitando todo um procedimento.

A orientação para os clientes se sentirem mais seguros em relação ao alimento consumido fora de casa é observar alguns pontos. O primeiro é ver se o estabelecimento possui alvará sanitário e se ele está em dia - sua duração é de um ano. Além disso, o aspecto visual e o cheiro da comida podem revelar se ela está em boas condições para o consumo. Qualquer suspeita de irregularidade pode ser denunciada à Vigilância Sanitária pelo telefone 156.

Em Pelotas, 20 profissionais atuam na fiscalização. Eles inspecionam todos estabelecimentos, no mínimo, uma vez por ano. A solicitação para a visita pode partir do comércio, que precisa renovar seu alvará anualmente, ou pode ser iniciativa da própria Vigilância. A Visa também integra o Pacto Pelotas Pela Paz e realiza ações conjuntas com a Polícia Civil, Guarda Municipal e Agentes de Trânsito. Dentre as operações realizadas, inclui-se a fiscalização de veículos que entram e saem da cidade transportando alimentos. “Eles também precisam ter o alvará sanitário”, esclarece.

Relembre
A Operação Castelo foi deflagrada em 8 de agosto de 2017 e combateu o abigeato e o comércio ilegal de carnes em Pelotas e região. Na época, foram indiciados donos de comércios de alimentos, advogados e uma servidora municipal. O grupo era considerado uma das maiores e mais bem estruturadas quadrilhas no Estado de abigeato na forma carneada.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados