Lua Cheia

Noites de piquenique

Centro Histórico recebe, nesta quinta, a 11ª edição do projeto que visa ocupar as praças em horário alternativo

11 de Janeiro de 2017 - 07h49 Corrigir A + A -
Evento ocorre na chegada da Lua cheia e pretende se expandir por outros pontos da cidade  (Foto: Divulgação - DP)

Evento ocorre na chegada da Lua cheia e pretende se expandir por outros pontos da cidade (Foto: Divulgação - DP)

Sob a luz da Lua, os grupos se formam, estendem suas toalhas, compartilham a comida, fazem uma roda musical e aproveitam o clima romântico para desfrutar de um espaço que é de todos. O Piquenique ao Luar, projeto desenvolvido pelo Teatro do Chapéu Azul desde 2015, inicia o ano com a sua 11ª edição, nesta quinta-feira, prometendo inúmeras atividades na ocupação dos espaços públicos também à noite.

A intenção, segundo a organizadora Aline Maciel, é manter uma regularidade mensal, com encontros na primeira noite de Lua cheia de cada mês. Nem sempre é possível. Ano passado as obras na praça Coronel Pedro Osório suspenderam as realizações, que retornaram apenas em setembro e novembro. O tempo também é outro fator que atrapalha.

Mesmo assim, a expectativa para 2017 é positiva. A Lua proporciona um clima mágico, aproximando as pessoas e ainda possibilitando uma interação maior com a natureza. As dez edições desenvolvidas até o momento chegaram a reunir até 800 pessoas na praça central da cidade. Números altos como este devem ser incentivados pelo projeto, apesar da proposta ser um pouco diferente do consagrado irmão Piquenique Cultural, também organizado por Aline.

A reunião ao luar não apresenta uma programação específica. A edição adquire a identidade de quem comparece na data. Cada um leva seus pertences para usufruir de uma noite agradável. Comida, toalha, lanterna, saco de lixo e repelente são indispensáveis. 

Descentralização
O piquenique noturno preocupa-se em fazer o Poder Público atentar para uma necessidade da população. “A praça é um espaço que deveria fazer parte do dia a dia do pelotense em qualquer horário, fazendo com que ele se sinta sempre seguro, não só em datas festivas”, salienta Aline, referindo-se a eventos como a Feira do Livro e as comemorações natalinas.

A Coronel Pedro Osório serve como símbolo de como a cidade também pode ser ocupada durante a noite, sem precisar que seus habitantes fiquem trancados em casa quando sai o sol. Há, inclusive, intenção em realizar uma itinerância do projeto. “Gostaria de poder levar para a praça da Rodoviária, o parque Dom Antônio Zattera ou até mesmo a praça da Alfândega, que é mais aberta e ideal para ver a Lua”, entusiasma-se a responsável. O problema, nesses casos, é aventurar-se em locais que permanecem às escuras e ainda são considerados perigosos.

Portanto, os encontros seguem na principal praça de Pelotas, que oferece uma melhor estrutura para receber o público. A Guarda Municipal e a Brigada Militar costumam ser comunicadas sobre o evento.

O quê: 11º Piquenique ao Luar.

Quando: Nesta quinta-feira, às 21h.

Onde: Praça Coronel Pedro Osório, próximo ao Grande Hotel

Entrada franca

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados