Violência

Pelotas registra 24º homicídio desde o início do ano

Vítima foi morta a tiros na manhã desta sexta-feira em sua casa, no bairro Fragata

17 de Março de 2017 - 18h15 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Atualizada às 17h26

A Polícia Civil tenta identificar o suspeito de assassinar um homem de 42 anos na manhã desta sexta-feira (17), no bairro Fragata, Zona Oeste de Pelotas.

Fábio Eduardo Lugo Borges foi morto a tiros dentro de sua residência, localizada na rua Francisco de Moraes Alves. O local, segundo a polícia, funcionava como ponto de venda de drogas. A vítima morava atrás da casa dos pais em um terreno que dividia com a família. 

De acordo com a Delegacia de Homicídios e Desaparecidos (DHD), Fábio foi assassinado na cozinha de sua casa após abrir a porta para o suspeito. A mulher da vítima estava em um outro cômodo do imóvel e teria se aproximado para saber com quem o marido discutia. Nesse momento, segundo contou aos policiais, viu um homem com arma em punho. Conforme a companheira de Fábio em depoimento aos agentes, antes de ser assassinado, Borges teria dito ao suspeito que não fazia parte de nenhuma das organizações criminosas que disputam o domínio do tráfico de drogas na cidade. Apesar da negativa, foi alvo de pelo menos três disparos. Na casa, a Polícia Civil encontrou 240 gramas de maconha e 5 gramas de crack. 

A mulher da vítima acionou a Brigada Militar (BM) e pediu socorro aos vizinhos. Não adiantou. Borges morreu logo após ser alvejado pelo suspeito. Ele foi funcionário do Serviço Autônomo de Abastecimento de Água de Pelotas (Sanep) durante 11 anos.

Agentes da DHD começaram a ouvir testemunhas e apurar as circunstâncias fato. A morte de Fábio Eduardo Lugo Borges é o 24º homicídio registrado em Pelotas. No mesmo período do ano passado, o município contabilizava 14. O aumento é de 71% em relação aos três primeiros meses de 2016.

Denúncias
Quem tiver informações que possam ajudar os agentes da Delegacia de Homicídios e Desparecidos a identificar o suspeito pode entrar em contato com a Polícia Civil através dos telefones (53) 3310-8171 ou 197.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados