Muralha

O foco é o Zequinha

Time base para encarar o Zequinha deve ser o mesmo que enfrentou o Grêmio, com uma alteração no meio-campo. Galiardo, que jogou e correspondeu bem contra o Tricolor, poderá ficar como opção no banco

17 de Março de 2017 - 12h03 Corrigir A + A -

Por: Sérgio Cabral
cabral@diariopopular.com.br 

Objetivo é errar o mínimo possível na temporada (Foto: Jô Folha - DP)

Objetivo é errar o mínimo possível na temporada (Foto: Jô Folha - DP)

Depois de empatar com o Grêmio no Bento Freitas na quarta-feira (15), em 1 a 1, e folgar na quinta-feira, a retomada aos trabalhos do grupo rubro-negro ocorre nesta sexta. Eduardo Martini aproveitou essa quinta para relaxar, tomar chimarrão e também avaliar o seu trabalho no Gauchão e na Primeira Liga. Respondeu alguns questionamentos ao Diário Popular.

Assim como ele, os demais profissionais retornam nesta sexta-feira pela manhã, quando se inicia o foco no Esporte Clube São José, adversário da oitava rodada, segunda-feira, em Porto Alegre, às 20h30min.

Neste confronto, o treinador Rogério Zimmermann contará com o retorno do capitão e volante Leandro Leite que esteve suspenso contra o Grêmio. Já os atletas Aloísio e Rennan Oliveira ainda seguem em tratamento com o Departamento Médico e estão fora dos planos do treinador.

O time base para encarar o Zequinha deve ser o mesmo que enfrentou o Grêmio, com uma alteração no meio-campo. Galiardo, que jogou e correspondeu bem contra o Tricolor, poderá ficar como opção no banco de reservas.

Entrevista
DP - Grande atuação contra o Grêmio?
Eduardo Martini - Sim. Ainda bem que trabalhei muito e acertei todas as defesas. Uma só que tinha endereço certo fui certo, mas a bola desviou no Cirilo e entrou. Sigo fazendo o meu trabalho para errar o menos possível, mantendo um boa média entre 5% e 10% de erros.

DP - Sempre com pressão?
EM - Normal. Adoro jogar aqui, com a torcida do lado e com pressão. Isso nos ajuda a crescer e a nos esforçarmos mais. Aparentemente sou calmo, mas existem momentos que não estamos bem e erramos. O que ocorreu naquele jogo contra o Internacional, mas refleti bem e passou.
DP - O que mudou no Brasil nesta temporada?
EM - Mudamos um pouco o grupo, mas o foco e os objetivos são os mesmos no clube e com o planejamento do professor Rogério. Mas o Gauchão é o mesmo, não mudou nada, sempre com jogos complicados e decisivos. Como ocorreu contra o Grêmio, uma grande equipe, tivemos uma ótima apresentação e paramos o time do Renato.

DP - Mais quatro jogos?
EM - Sim. Mas sem planejar nada a não ser jogo por jogo. Assim nos preparamos e assim deve ser. Nosso trabalho com o Alex - um especial profissional - nos faz dividir as coisas positivas e negativas, que são raras.

A cada partida temos uma verdadeira peleia no Campeonato Gaúcho. Ainda bem que temos um ótimo profissional na preparação. Tenho obrigação de dizer isso e reconhecê-lo, pois ele é na dele e trabalha muito com todos no dia a dia. Serão quatro jogos importantes e decisivos para a classificação.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados