Tempo que vem

Outono de 2017 sem clima extremo

Estação que marca transição entre o verão e o inverno inicia segunda-feira

18 de Março de 2017 - 07h08 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Plátanos da rua Princesa Isabel, entre Gonçalves Chaves e Santa Cruz, área central de Pelotas, na tarde desta sexta-feira; outono começa na próxima segunda, às 7h29 , no Hemisfério Sul (Foto: Jô Folha - DP)

Plátanos da rua Princesa Isabel, entre Gonçalves Chaves e Santa Cruz, área central de Pelotas, na tarde desta sexta-feira; outono começa na próxima segunda, às 7h29 , no Hemisfério Sul (Foto: Jô Folha - DP)

Um outono bem característico, sem extremos de frio e calor. Essa deve ser a cara da nova estação, que começa nesta segunda-feira (20), às 7h29, e se estende até o dia 21 de junho. O trimestre marca a transição do verão, mais quente e úmido, para o inverno, mais frio e mais seco. No Hemisfério Sul gradativamente a radiação solar irá diminuir. O prognóstico é do Climatempo.

De acordo com o instituto de meteorologia, a chuva vai cada vez mais deixando de existir sobre o Brasil central, sobre o interior do Nordeste e sobre o interior do Sudeste e as massas frias começam a avançar pelo Centro-Sul do país. Especialmente em abril ainda haverá um pouco de ar quente e úmido descendo do Norte para o Centro-Oeste e o Sudeste, mas isso já diminui em relação aos meses de verão. No mês de maio, as primeiras massas frias começam a avançar pelo Centro-Sul do país. No mês de junho, uma grande massa de ar seco começa a dominar a região mais central e as massas polares avançam com força total sobre o país.

Sem El Niño e sem La Niña
O outono de 2017 será neutro, sem influência dos fenômenos El Niño e La Niña. Com isso a condição de clima tende a se aproximar da normalidade, explica o meteorologista Alexandre Nascimento. “A temperatura vai caindo gradativamente e a chuva vai diminuindo na maioria das regiões brasileiras”, afirma Nascimento.

Para o mês de abril a expectativa é de temperaturas um pouco acima da média, mas nada parecido com o ano passado, que foi extremamente quente. Em relação à chuva, grande parte da região Norte ainda deve ter precipitação acima da normalidade.

A temperatura vai cair gradativamente e em maio já será possível sentir bastante frio, principalmente na segunda quinzena nas regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste. Em junho fará bastante frio no Sul e no Sudeste, mas nada comparável ao ano passado.

A chuva vai diminuindo aos poucos. Em maio, há previsão abaixo do normal em grande parte do país, com exceção do extremo Norte e também do Nordeste. Em junho, previsão de pouquíssima chuva para o Norte e o Nordeste. Somente no Sul pode chover acima da normalidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados