Nas ruas

Operação leva polícia, guardas municipais, agentes de trânsito e conselho tutelar às ruas de Pelotas

Ação conjunta planejada pela Brigada Militar a pedido da Secretaria de Qualidade Ambiental mirou a movimentação noturna e a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos

18 de Março de 2017 - 11h20 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Roberto Ribeiro
roberto@diariopopular.com.br 

Jovens são revistados junto à fachada do prédio da UCPel, na rua Gonçalves Chaves, entre Três de Maio e Dom Pedro II, na madrugada deste sábado em Pelotas pela Operação Dose Zero, coordenada pela Delegacia da Criança e do Adolescente; estabelecimentos foram fiscalizados quanto à venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, tornado crime pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (Foto: Divulgação/BM)

Jovens são revistados junto à fachada do prédio da UCPel, na rua Gonçalves Chaves, entre Três de Maio e Dom Pedro II, na madrugada deste sábado em Pelotas pela Operação Dose Zero, coordenada pela Delegacia da Criança e do Adolescente; estabelecimentos foram fiscalizados quanto à venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, tornado crime pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (Foto: Divulgação/BM)

Políciais militares são vistos durante abordagem na madrugada deste sábado no cruzamento da avenida Bento Gonçalves com rua Barão de Santa Tecla; Operação Dose Zero revistou ao todo 450 pessoas (Foto: Divulgação/BM)

Políciais militares são vistos durante abordagem na madrugada deste sábado no cruzamento da avenida Bento Gonçalves com rua Barão de Santa Tecla; Operação Dose Zero revistou ao todo 450 pessoas (Foto: Divulgação/BM)

Revólver apreendido durante a Operação Dose Zero, da Delegacia da Criança e do Adolescente, que contou com policiais  civis de outras delegacias, policiais militares, guardas municipais, agentes de trânsito e conselho tutelar; três presos por porte ilegal de arma, sete armas de fogo apreendidas e um veículo recuperado foram o saldo da Operação (Foto: Divulgação/BM)

Revólver apreendido durante a Operação Dose Zero, da Delegacia da Criança e do Adolescente, que contou com policiais civis de outras delegacias, policiais militares, guardas municipais, agentes de trânsito e conselho tutelar; três presos por porte ilegal de arma, sete armas de fogo apreendidas e um veículo recuperado foram o saldo da Operação (Foto: Divulgação/BM)

[Srs. leitores: foi preciso atualizar a versão da matéria. A anterior trazia incorreções ao longo do texto. Pedimos desculpas] 

Atualizada às 23h25 deste domingo

A Operação Cinturão Conjunta mobilizou policiais militares, civis, guardas municipais, agentes de trânsito e bombeiros em Pelotas a partir da meia-noite de sexta-feira (17) até às 3h deste sábado. O efetivo atuou em dois locais de intensa movimentação noturna: avenida Bento Gonçalves, nas imediações da rua Barão de Santa Tecla, e na Gonçalves Chaves, em frente à UCPel.

Planejada pela Brigada Militar, a pedido da Secretaria de Qualidade Ambiental, a ação abordou ao todo 435 pessoas durante três horas. Com a presença de policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente, a Operação averiguou o cumprimento da lei que proíbe venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos. Nesta sexta fez dois anos da alteração do artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que passou a criminalizar a comercialização desse tipo de produto para jovens dessa faixa etária. Integrantes do Conselho Tutelar também participaram, assim como servidores da Vigilância Sanitária e da Secretaria de Qualidade Ambiental.

"Não encontramos esse tipo de infração, o que demonstra que as pessoas estão mais conscientes e respeitando a lei - só por isso podemos considerar que a operação foi positiva", avaliou nesta manhã o delegado Osmar dos Anjos, responsável pela unidade voltada aos direitos da criança e do adolescente em Pelotas. Ele citou ainda que durante a ação foi feito trabalho educativo e de prevenção quanto ao uso de álcool e à venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes. Alguns pais foram chamados a comparecer nos locais onde os filhos estavam nos casos em que os adolescentes não possuíam documento de identificação.

Apesar de infrações ao ECA não terem sido flagradas, a Operação Cinturão Conjunta não terminou de mãos vazias. Três pessoas foram presas por porte ilegal de arma, houve apreensão de sete armas de fogo, dois simulacros, uma moto recuperada, aplicadas 56 autuações de trânsito e 23 veículos recolhidos aos depósitos credenciados pelo Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS). Carros e motos foram apreendidos por agentes de trânsito. 


Comentários


  • Não há comentários, seja o primeiro a comentar!


Diário Popular - Todos os direitos reservados