Apoio

Banco de Alimentos inaugura Casa da Acolhida na zona rural de Pelotas

A partir de abril espaço estará aberto a crianças da região, independentemente do vínculo religioso

18 de Março de 2017 - 13h59 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

O ato de inauguração da Casa da Acolhida Madre Teresa de Calcutá no Quilombo, 7º Distrito de Pelotas, na manhã deste sábado; local vai receber crianças de dois a dez anos de idade a partir de abril (Foto: Paulo Rossi - DP)

O ato de inauguração da Casa da Acolhida Madre Teresa de Calcutá no Quilombo, 7º Distrito de Pelotas, na manhã deste sábado; local vai receber crianças de dois a dez anos de idade a partir de abril (Foto: Paulo Rossi - DP)

A gurizada corria de sorrisos largos na Colônia Santo Antônio, no 7º distrito de Pelotas.O motivo era nobre para que a alegria se espalhasse entre a comunidade na manhã deste sábado (18) de sol e temperatura amena de 25ºC. Está inaugurada a Casa de Acolhida, que se transformará em mais um dos braços do Banco de Alimentos Madre Tereza de Calcutá. A expectativa é de que, a partir de abril, as primeiras 20 crianças - de dois a dez anos de idade - passem a ser atendidas e garantam a oportunidade de os pais irem em busca de novas oportunidades para ampliar a renda familiar.

"Agora as mulheres poderão deixar os filhos aqui. Não queremos que ninguém acabe viciando em receber as sacolas de alimentos. Queremos nós mesmas nos qualificar pra poder conseguir algum emprego e também trabalhar nas fábricas de conservas", projeta Lidiane Miranda da Cruz, 28, com a convicção de que os pequenos Níkolas, de seis anos, e Anytta, de dois, estarão efetivamente acolhidos.

E, ao se pronunciar como porta-voz da comunidade, Lidiane enfatizou: a Casa irá receber crianças ligadas ou não à Comunidade do Alto do Caixão - onde vivem 104 famílias - com vinculação ou não religiosa. Não há qualquer tipo de restrição.

Agradecimento
O ato de inauguração contou com missa celebrada pelo padre Armindo Capone e vários pronunciamentos e relatos de fé. A presidente do Banco de Alimentos, Maria Eulalie Fernandes, falou nas inúmeras vezes que dobrou os joelhos e rogou a Deus para que a iniciativa se viabilizasse e, aos poucos, as respostas, os apoios e os muitos homens e mulheres surgiram no caminho para que a fita vermelha pudesse ser cortada na manhã deste último sábado de verão. "Foram tempos de muita oração. Tive uma experiência incrível de fé. Deus está sempre nos abençoando e nos agraciando", sustentou, ao crer que, em breve, a Casa da Acolhida estará em pleno funcionamento.

Para apoiar
O espaço ainda precisa de fogão industrial, freezer, geladeira, pratos, panelas, talheres, toalhas e colchões. Quem quiser ajudar com doações ou auxiliar com as despesas da Casa da Acolhida, pode entrar em contato com o Banco de Alimentos Madre Tereza de Calcutá através do telefone (53) 3273-2600.

O projeto recebeu grande apoio do Rotary Club Centenário e do Brechó Jurídico - e também de colaborações obtidas através de campanhas.

 

 

 


Comentários


  • Não há comentários, seja o primeiro a comentar!


Diário Popular - Todos os direitos reservados