Série A2

Pelotas sofre empate nos últimos minutos na Boca do Lobo

Lobo vencia por 2 a 0 até os 38 da etapa final, mas cede a igualdade após dois pênaltis marcados para o adversário; partida teve confusão no fim, com direito a quatro expulsões - três pelo lado do Pelotas

19 de Março de 2017 - 15h44 Corrigir A + A -

Por: Roberto Ribeiro
roberto@diariopopular.com.br 

Jogadores do Pelotas comemoram o golaço de Nícolas logo aos 30 segundos de jogo na tarde deste domingo, no empate em 2 a 2 com o Guarany de Bagé pela Série A2 do Gauchão (Foto: Paulo Rossi - DP)

Jogadores do Pelotas comemoram o golaço de Nícolas logo aos 30 segundos de jogo na tarde deste domingo, no empate em 2 a 2 com o Guarany de Bagé pela Série A2 do Gauchão (Foto: Paulo Rossi - DP)

O goleiro Rafael tenta atingir Léo Jacques, do Guarany, após o empate da equipe visitante na tarde deste domingo no estádio da Boca do Lobo; os dois foram expulsos (Foto: Paulo Rossi - DP)

O goleiro Rafael tenta atingir Léo Jacques, do Guarany, após o empate da equipe visitante na tarde deste domingo no estádio da Boca do Lobo; os dois foram expulsos (Foto: Paulo Rossi - DP)

Sem camisa, Brasão comemora seu primeiro gol pelo Pelotas em partidas oficiais, o segundo da equipe na partida deste domingo que terminou empatada em 2 a 2 com o Guarany de Bagé; jogador recebeu cartão amarelo por tirar a camisa na comemoração (Foto: Paulo Rossi - DP)

Sem camisa, Brasão comemora seu primeiro gol pelo Pelotas em partidas oficiais, o segundo da equipe na partida deste domingo que terminou empatada em 2 a 2 com o Guarany de Bagé; jogador recebeu cartão amarelo por tirar a camisa na comemoração (Foto: Paulo Rossi - DP)

O zagueiro Cleiton reclama junto ao árbitro Tiago Staduto pela marcação do segundo pênalti a favor do Guarany de Bagé no empate em 2 a 2 deste domingo no estádio da Boca do Lobo; jogador foi expulso pela reclamação e desfalca o Pelotas contra o Santa Cruz quinta-feira no estádio dos Plátanos (Foto: Paulo Rossi - DP)

O zagueiro Cleiton reclama junto ao árbitro Tiago Staduto pela marcação do segundo pênalti a favor do Guarany de Bagé no empate em 2 a 2 deste domingo no estádio da Boca do Lobo; jogador foi expulso pela reclamação e desfalca o Pelotas contra o Santa Cruz quinta-feira no estádio dos Plátanos (Foto: Paulo Rossi - DP)

A torcida do Guarany de Bagé na arquibancada da rua Doutor Amarante no estádio da Boca do Lobo na tarde deste domingo logo após o gol de Nícolas, do Pelotas, que abriu o placar da partida que terminou empatada em 2 a 2 (Foto: Paulo Rossi - DP)

A torcida do Guarany de Bagé na arquibancada da rua Doutor Amarante no estádio da Boca do Lobo na tarde deste domingo logo após o gol de Nícolas, do Pelotas, que abriu o placar da partida que terminou empatada em 2 a 2 (Foto: Paulo Rossi - DP)

Atualizada às 19h40

Parecia que seria uma vitória tranquila. Mas jogo "só termina quando acaba", como dizia o folclórico Vicente Matheus, ex-presidente do Corinthians. E acabou com empate amargo, parecido com derrota, para o Pelotas, que ficou no 2 a 2 com o Guarany de Bagé, lanterna do Grupo A da Série A2. Na reta final de partida, a equipe da Fronteira converteu os dois pênaltis assinalados a seu favor. O confronto só terminou depois de muita confusão, com direito a discussão, troca de agressões entre jogadores e comissões técnicas e quatro expulsões, três pelo lado do Pelotas (Rafael, Heitor e Cleiton) e uma pelo Guarany (Léo Jaques).

Com o empate, o Pelotas fica em 5º, fora da zona de classificação, com os mesmos cinco pontos do Avenida, que nesta tarde venceu o clássico contra o Santa Cruz por 3 a 0. O Periquito tem saldo 2 contra um do Lobo, que tem um jogo a menos. O time de Marcelo Rospide volta a campo quinta-feira que vem, contra o Santa Cruz no estádio dos Plátanos. O Guarany, apesar do ponto somado, permanece na lanterna, com dois. Na quarta-feira enfrenta o Aimoré no estádio Estrela D'Alva, em Bagé.

O jogo
O Pelotas praticamente iniciou a partida em vantagem. O lateral-esquerdo Nícolas experimentou de longe para abrir o marcador aos 30 segundos. Parecia fácil. Mas não. Aos 12 o Guarany obrigou Rafael a uma grande defesa. No rebote, Juninho Botelho colocou para fora. Três minutos depois, Douglas Mineiro recebeu de Vinícius Martins e de voleio concluiu para fora, com perigo. O Guarany respondeu um minuto mais tarde: o lateral Vareta recebeu nas costas de Nícolas e mandou na rede pelo lado de fora. Apesar de limitado, o time visitante se impôs e chegou a ter mais presença ofensiva na primeira etapa. Pecou no excesso de bolas aéreas sobre a zaga do Pelotas, que levou ampla vantagem.

Na etapa final, mais uma vez o Lobo demonstrou superioridade em relação ao primeiro tempo, como já havia ocorrido nas partidas contra Avenida e Aimoré. Tanto que aos 10 Brasão ampliou para 2 a 0. O atacante recebeu dentro da área, dominou, limpou o terreno e mandou para a rede. O Guarany, no entanto, provou que não havia dado o jogo por perdido. Aos 22, o atacante Alemão, após cruzamento de Michel, mandou por cima de Rafael no bico da pequena área. O Pelotas deixou de ampliar quatro minutos depois - após cabeceio de Mineiro que exigiu grande defesa de Ânderson.

Tudo levava a crer que o Lobo encerraria o domingo fazendo o dever de casa. Só que aos 37, Heitor, que havia entrado bem no lugar de Charles, subiu mal e cortou cruzamento com a mão. Pênalti claro para o Guarany. De quebra, o jogador áureo-cerúleo levou o segundo amarelo e foi expulso. Léo Jaques, que como Heitor entrou no decorrer da partida, cobrou e diminuiu: 2 a 1.

Motivado pelo gol e pela vantagem numérica, o time visitante partiu para o "abafa". Deu certo. Aos 44, novo pênalti assinalado para o Guarany, este, considerado duvidoso. Uélison Santana teria se atrapalhado e colocado mão na bola dentro da grande área. Cleiton partiu para cima do árbitro Tiago Staduto e foi expulso. Lobo com nove. Léo Jaques, de novo, correu pra bola, empatou o jogo e na comemoração chutou uma das bandeiras de escanteio. Começa a confusão. Rafael parte para cima do jogador e o tempo fecha. Jogadores e integrantes das comissões técnicas trocam agressões. Após vários minutos de paralisação, o árbitro expulsa Rafael e Léo Jaques. Gabriel Carioca, que havia entrado no lugar de Brasão, é obrigado a ir para o gol. Mas não foi exigido. Assim que a partida recomeçou o juiz tratou de encerrá-la, aos 53 minutos. Tropeço em casa.

Ficha técnica

Pelotas 2x2 Guarany de Bagé

Pelotas - Rafael; Darlem, Cleiton, Tiago Gasparetto e Nícolas; Charles (Heitor), Fábio Rosa (Ceará), Uélison e Vinícius Martins; Brasão (Gabriel Carioca) e Douglas Mineiro. Técnico: Marcelo Rospide.

Guarany - Anderson; Vareta (Brito), Brunelo, Xandy e Jean Lemos; Cristian, Renan Guerra (Léo Jaques), Wellington e Michel (Lucas Brambila); Alemão e Júnior Botelho. Técnico: Géverton Duarte.

Gols - Nícolas, para o Pelotas, aos 30 segundos do 1º tempo; Brasão, para o Pelotas, aos 10, e Léo Jaques, de pênalti, aos 38 e aos 44 minutos do 2º tempo.

Cartões amarelos - Nícolas, Charles, Heitor e Brasão (P); Jean, Michel, Brito e Wellington (G)

Cartões vermelhos - Heitor, Cleiton e Rafael (P); Léo Jaques (G)

Arbitragem - Tiago Staduto, auxiliado por Ismael Mancilha e Daniel Brandoni.

Local - estádio da Boca do Lobo, em Pelotas

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados