Obras

O que vai mudar na Baixada?

Presidente do Conselho Deliberativo, Cláudio Andrea, garante que o Brasil estará com o estádio em condições para receber dez mil pessoas nos jogos da Série B

20 de Abril de 2017 - 11h22 Corrigir A + A -

Por: Sérgio Cabral
cabral@diariopopular.com.br 

Presidente do Conselho Deliberativo, Cláudio Andrea, garante que o Brasil estará com o estádio em condições para receber dez mil pessoas nos jogos da Série B. (Foto: Carlos  Insaurriaga AI GEB)

Presidente do Conselho Deliberativo, Cláudio Andrea, garante que o Brasil estará com o estádio em condições para receber dez mil pessoas nos jogos da Série B. (Foto: Carlos Insaurriaga AI GEB)

A reunião do Conselho Deliberativo do Xavante serviu para colocar em dia as situações das obras no estádio, no CT Associação Xavante - da Sanga Funda, das atividades no CT Brasil/Fragata, além das colocações do presidente Ricardo Fonseca sobre o momento atual do clube e as novas equipes que vão disputar o Estadual nesta temporada.

De acordo com o presidente do Conselho, Cláudio Andrea, todos os presentes ficaram por dentro do que vai rolar nos próximos meses no estádio Bento Freitas - para que o Brasil possa jogar em casa a Série B do Brasileiro 2017.

Após passar por dramas em três anos consecutivos - com liberações em correria, vistorias às pressas e às vésperas dos jogos e riscos de não jogar em casa - como ocorreu no ano passado e no retrasado, agora tudo está bem encaminhado. “Está pronto o planejamento, com o acompanhamento do nosso arquiteto Júlio Sanabria, e a montagem das novas arquibancadas provisórias estão em andamento. O importante é que teremos os dez mil lugares na Baixada e jogaremos o Brasileiro em casa”, garantiu Andrea.

Quanto à construção das novas arquibancadas, só começará após a conclusão do novo vestiário, que segue junto ao portão 7 do estádio. O novo vestiário só deverá ficar pronto durante a disputa da Série B.

Tudo que se refere às obras e aos negócios com a Porto 5 foi explanado pelo presidente da Comissão de Obras, Tiago Perceu. Já o conselheiro e ex-presidente Hamilton Santos destacou o novo projeto que será apresentado para a construção dos vestiários, dos banheiros e das áreas de descanso, o qual qualificará a área de treinamentos dos profissionais no CT Associação Xavante. Inclusive, será realizada uma ação para arrecadação de fundos para adquirir o material necessário.

Base confirmada
Também foi confirmada a participação da base rubro-negra no Estadual deste ano nas categorias Sub-17 e Sub-19. “Agora teremos a formação de atletas e seremos formadores - ficaremos com o ônus e o bônus dos atletas”, destacou Cláudio Andrea.

Profut em dia
A direção do Brasil destacou que tudo se encaminhou bem no clube, devido à profissionalização dos departamentos à chegada do Profut. “Pagamos R$ 180 mil por mês para honrar dívidas federais e outras do passado com o Profut. Mas isso também traz garantias ao Brasil para estar com segurança e com dinheiro em caixa no período das disputas oficiais”, analisou.

Sócios sumiram
Hoje, o Brasil perdeu os sócios “safristas” - ou aqueles que fazem contas para visar lucros e pagar menos para acompanhar o time nas competições. O presidente do Conselho disse que somente 2,4 mil estão pagando em dia dos 5 mil que começaram a temporada. “Os sócios acham que são os patrocinadores e não é bem assim. Quem visa lucro, para pagar menos, não ajuda o Brasil em nada. Precisamos de sócios que ajudem o clube sempre e no mínimo com o dobro de pagantes que começam a temporada”, encerrou Cláudio Andrea.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados