Recessão

Índice negativo na venda de presentes para a mãe

Levantamento feito pelo Sindicato do ComércioVarejista (Sindilojas) de Pelotas encontrou uma queda de 2,5% em relação ao ano passado

16 de Maio de 2017 - 12h59 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Opção. Com estoques adequados, floriculturas venderam bem para Dia das Mães (Foto: Jerônimo Gonzalez - DP)

Opção. Com estoques adequados, floriculturas venderam bem para Dia das Mães (Foto: Jerônimo Gonzalez - DP)

O aumento nas vendas para o Dia das Mães não veio, ao contrário das expectativas dos lojistas. Levantamento feito pelo Sindicato do ComércioVarejista (Sindilojas) de Pelotas encontrou uma queda de 2,5% em relação ao ano passado, de acordo com o presidente Gilmar Bazanella. No Estado, este mesmo comparativo encontrou queda de 4%, informou o líder varejista.

As temperaturas não caíram conforme o esperado e as chuvas fortes da sexta-feira atrapalharam as vendas às vésperas do Dia das Mães. Na quinta-feira, o movimento de consumidores foi bom, mas no sábado (13) não foi suficiente para compensar a sexta, explicou Bazanella. Com poder aquisitivo menor dentro das famílias e número elevado de desempregados, este resultado era previsível, segundo o presidente.

Chamou bastante a atenção a procura pelas floriculturas no sábado, véspera do Dia das Mães, mas principalmente na própria data. Na avaliação dos comerciantes, no entanto, as vendas não foram melhores que no ano passado. Houve uma adequação do mercado, com uma oferta menor, segundo a maioria.

Para Fernando Pinho, as vendas ficaram 30% mais baixas e ontem ainda havia flores para comprar. “Não deu fila”, exemplificou. A preferência dos clientes recaiu sobre os vasos, já que depois é possivel manter a planta. Quem fez estoque maior teve sobra, que ainda teve compradores na segunda-feira.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados