Estilo
Coluna

Princesa visita Princesa

11 de Novembro de 2017 - 06h00 Corrigir A + A -

Por Guilherme Almeida - pesquisador do Almanaque do Bicentenário de Pelotas

O ano de 1885 foi augusto para os monarquistas pelotenses. A Princesa do Sul recebeu a importante visita da princesa Isabel. A herdeira do Império Brasileiro veio ao encontro de seu esposo, Louis Philippe Marie Ferdinand Gaston, o Conde d’Eu. Gastão de Orléans se achava no interior da província, em uma visita que também contemplou as demais províncias ao Sul do país, com o pretexto de realizar inspeções nas tropas militares e exercícios de guerra. Como pano de fundo, a necessária melhoria de sua imagem de estrangeiro junto aos brasileiros, especialmente como comandante militar.

Foi no dia 6 de fevereiro que chegaram os dourados visitantes no porto de Pelotas. A bordo do paquete Itapuan estavam Isabel e os filhos e príncipes dom Pedro e dom Luís, acompanhados de membros de sua Corte. O desembarque ocorreu às 9h15min no trapiche da antiga companhia de navegação São Pedro, devida e “luxuosamente ornamentado”, ao som do estrugir de “dezenas de dúzias” de fogos. A recepção contou com a presença de “grande massa popular”, da Câmara Municipal, representantes de diversas entidades, associações, clubes e autoridades oficiais e eclesiásticas.

O trapiche São Pedro era um trecho pequeno do cais do porto de Pelotas, licenciado para uso daquela companhia, e que contava com uma escadaria para embarque e desembarque de passageiros. Ele figura em diversas imagens antigas do porto, que ilustravam cartões-postais. Ficava no prolongamento do eixo da rua Dona Mariana (Eufrásia da Silveira), margem esquerda do Canal São Gonçalo, onde hoje o Terminal de Toras comunica-se com os armazéns do porto.

A propósito, paquete era um tipo de navio mercante, movido a vapor, que prestava serviço de correio, bem como o transporte de passageiros e de mercadorias. O termo “paquete”, que deriva do inglês “packet boat”; devido à regularidade apresentada pela embarcação, chegou a ser sinônimo para “menstruação” nos anos 1930, no Brasil.

Além de ser o caminho escolhido para a entrada em Pelotas, o porto da cidade e seu entorno foram palco de momentos importantes da visita de sua alteza imperial. (Continua...)

imagem - texto - 34

Detalhe de uma Planta da Cidade de Pelotas, publicada em 1922, evidenciando, ao centro, a localização do trapiche São Pedro, no porto da cidade. Acervo Neab/FAUrb/UFPel

Você sabia?
►Que o 2º Festival de Circo de Pelotas tem uma programação animada e gratuita por toda cidade até o dia 17 deste mês, incluindo oficina de circo nas escolas do projeto Porto das Artes?
►Que novembro é mês de celebração na região do Porto com a quinta edição do Spray’Sons, no dia 19, quando o grafite toma conta da rua Almirante Barroso (entre Conde de Porto Alegre e João Manoel)?
►Que a cultura segue reverberando nos dias 25 e 26, quando ocorre a edição especial #50 do Sofá na Rua, um evento consolidado que ampliou sua atuação este ano com o apoio da Sagres e da CMPC Celulose Riograndense?

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados