Estilo
Coluna

Um piano e uma ária de Verdi

18 de Março de 2017 - 06h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Joari Reis

A música é arte amada por milhões. Existem os que não passam sem ela, assim como os que vivem dela. A música é um imenso prazer individual, mas que também pode ser compartilhado. Ouvir música o dia inteiro é costume praticado por tantas pessoas que dizem não passar sem ela, são os dependentes da música.

A música é executada nos mais variados instrumentos, os instrumentos musicais, alguns a eles se dedicam. Em reportagem do Diário Popular ficamos sabendo que existe na cidade uma pessoa que cuida da vida de um instrumento musical, um instrumento “doente” internado por vários anos em um hospital, a Santa Casa de Misericórdia. Estudando e aprendendo a amar a música, um pelotense morador em Brasília trabalhou por vários anos para recuperar o móvel e o som produzido em um antigo piano construído no século 19.

Pelotas ganharia assim o produto da experiência e do trabalho do senhor Rogério Resende, um pelotense a ser admirado a quem a cultura de nossa terra passa a ser devedora e que o homenageia. Obrigado por tudo senhor Rogério Resende, por trazer o som dos anjos para habitar entre nós. Pelotas comovida agradece.

A música do Prelúdio
A música sempre tem sido um refrigério nos calores destes dias de verão. A música, através das imagens da televisão tem ocupado um pedaço das minhas noites de domingo. Nestas últimas semanas, o programa Prelúdio (na TVE paulista), tem sido meu escolhido para ocupar o espaço, tão raro, da música de qualidade. No concurso aberto para músicos jovens, os candidatos disputam um belo prêmio que será uma bolsa de estudos em uma afamada escola de Budapeste, Hungria. Serão três anos em uma escola fundada por Franz Liszt.

Nesta segunda rodada, classificados em número de quatro por programa, chegam a dois os escolhidos por audição. O concurso é muito difícil, o júri é rigoroso, mas os candidatos mostram a qualidade e o talento de moças e rapazes brasileiros, nos mais diversos instrumentos musicais e no canto lírico.

No domingo fiquei torcendo e gostei de ver uma soprano interpretando uma das mais belas árias da La traviata, ópera de Verdi. Ela se classificou e vai à semifinal. O programa se inicia agora às 20h. Não perco, vale a pena!

Museu do Festival de Gramado
A cidade número um do turismo sempre tem novidades. Agora de segunda a domingo, no horário das 11h às 21h, para os amigos do cinema, no anexo do Palácio dos Festivais, está o Museu do Festival de Cinema de Gramado, na avenida Borges de Medeiros, 2.659.

Comentários Comente

  • Não há comentários, seja o primeiro a comentar!

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados