Editorial

Quem mais acionou o DPVAT

24 de Novembro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

De todas as indenizações pagas entre janeiro e outubro desse ano pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) no Brasil _ foram 325.638 _, a  motocicleta foi o veículo com o maior número de casos. Apesar de representar 27% da frota nacional, ela concentrou 74% das indenizações. As informações constam no Boletim Estatístico da empresa que administra o serviço.

O DPVAT é um seguro de caráter social, usado para pagar vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, sejam os envolvidos motorista, passageiro ou pedestre. Ele oferece coberturas para três naturezas de danos: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares.

O pagamento é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após a apresentação da documentação necessária. O valor é estipulado em R$ 13,5 mil para o caso de morte e de até R$ 13,5 mil para invalidez permanente, variando conforme o grau, e de até R$ 2,7 mil em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas.

O pedido de indenização por morte pode ser feito em até três anos a partir da data do óbito. Para despesas médicas, a contagem do prazo se inicia a partir da data do acidente. No caso de indenização por invalidez permanente, é de três anos a contar da ciência da invalidez permanente pela vítima, informa o site da empresa Líder, que administra o DPVAT.

Nos episódios envolvendo motociclistas, entre janeiro e outubro desse ano, os números assustam: 79% envolveram invalidez permanente e 7% morte. Os homens são maioria. Dos casos que levaram à perda de vidas, o sexo masculino foi vítima em 88%. Para aqueles com sequelas permanentes, 79% das indenizações também foram pagas a homens.

Esse cenário impressiona ainda porque as vítimas de acidentes com motos são, em sua maioria, jovens em idade economicamente ativa. Aqueles entre 18 e 34 anos concentraram 53% dos acidentes fatais e 54% dos com sequelas permanentes. No período analisado, foram pagas mais de 103 mil indenizações por invalidez permanente às vítimas nessa faixa etária.

As estatísticas revelam ainda o período com a maior incidência de acidentes envolvendo motocicletas (indenização por morte e invalidez permanente): o anoitecer (24%). (Com informações do DPVAT)


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados