Editorial

Rejeição aos mesmos candidatos

14 de Novembro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Já em contagem regressiva e a menos de um ano das eleições, uma nova pesquisa, realizada pelo Ibope Inteligência para a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (DAPP), reacende o debate sobre como irá se comportar o eleitor em 2018 frente a um cenário de descrença total com a política.

Segundo o estudo, 55% dos brasileiros não votariam novamente no mesmo candidato em que votaram nas últimas eleições para presidente e 30% pretendem votar em algum candidato de fora da política tradicional no próximo pleito para presidente. Além disso, 29% pretendem votar em branco ou anular o voto.

O Dilema do Brasileiro _ nome dado à pesquisa _ buscou entender os valores que orientam escolhas e preferências dos indivíduos hoje e no futuro, optando por focar na temática da confiança como eixo orientador e balizador da análise e da discussão dos dados coletados em campo, segundo o Ibope Inteligência.

Dos resultados em destaque, chamou a atenção o fato de a insatisfação, no atual contexto, se refletir em uma falta de confiança generalizada no presidente (83%), nos políticos (78%) e nos partidos (78%). Percepção identificada em todas as regiões, faixas etárias e de renda.

Além disso, 63% afirmaram que a corrupção é o tema que mais os angustia no Brasil e outros 60% concordaram que a política no país impede que apareça um líder honesto e comprometido com mudanças para o povo.

A insatisfação com o governo, por sua vez, juntamente com a descrença e a falta de identificação com os políticos, desencadeia atualmente uma crise de representação partidária. Questionados sobre a importância dos partidos, pouco mais de 30% dos entrevistados disseram que eles são importantes e que estaríamos piores sem eles (31%).

Já 65% consideraram importante debater nas redes sociais para mudar o comportamento dos governantes. Essa é a terceira fonte de informação mais usada pelos entrevistados para se informar sobre política (22%), atrás da televisão (69%) e de sites de notícias e portais (24%).

Sobre o futuro, cerca de 60% discordaram totalmente de que o pior da crise econômica já passou e 57% concordaram que para contê-la é necessário mais interferência do Estado na economia, embora 79% rejeitem o aumento de impostos como alternativa. (Com informações do Ibope Inteligência)


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados