Editorial

Secretarias municipais e expectativas

11 de Janeiro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O Diário Popular encerra nesta quarta-feira (11) a série Os três pilares, publicada desde segunda-feira com os novos secretários de Segurança Pública, Educação e Saúde. As pastas foram escolhidas pela reportagem por serem estratégicas a qualquer cidade, não apenas Pelotas. Isso não significa, é claro, que os demais órgãos não tenham igual importância. Planejamento, Qualidade Ambiental, Assistência Social, Serviços Urbanos e todos os outros também contribuem para que a cidade funcione a bem do cidadão.

Mas vem da força de uma boa educação, do atendimento com qualidade na saúde e da sensação de um local seguro para viver a certeza de que o município caminha com as próprias pernas. Melhorar é sempre uma obrigação.

A Secretaria de Segurança Pública nasce cheia de expectativa. Embora não seja dever da prefeitura responder pelo serviço, o governo de Paula Mascarenhas (PSDB) decidiu não esperar mais por respostas sempre demoradas e abraçar a causa. Dentro de um limite, claro. Será um bom reforço a um serviço bastante deteriorado.

A frase do secretário Tenente Bruno ajuda a entender o contexto: “Há uma preocupação muito grande do município em relação à crise do governo e à atual situação da segurança em Pelotas”. Os próximos meses serão fundamentais para a comunidade saber até onde a nova pasta pode ir e de que forma irá alcançar seus objetivos.

No caso da Educação, trata-se de uma das maiores estruturas da administração direta, onde um único problema pode afetar a vida de centenas de pessoas ao mesmo tempo, pais e alunos. A gestão, por isso, precisa ter o mesmo discurso (e a mesma execução), o que nem sempre é fácil. “Eu quero me dedicar totalmente à educação. Não tenho que me preocupar em arrumar os ônibus, mas sim em ter os ônibus arrumados”, declarou o secretário Arthur Correa, em referência às pedras que surgem ao longo do mandato e precisam ser transpostas, mesmo que ele não queira.

A pressão inicial neste janeiro de 2017 sobre Correa é o início do ano letivo. Quando chegar o 6 de março as salas terão de estar prontas e os professores lotados para o atendimento de quase 30 mil estudantes.

E quanto à Saúde, a titular Ana Costa é uma profunda conhecedora da área, exigente, e dificilmente deixará de oferecer menos do que sua antecessora, Arita Bergmann.


Comentários


  • Não há comentários, seja o primeiro a comentar!

Diário Popular - Todos os direitos reservados