Artigo

Com o cheiro de família

11 de Janeiro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Manoel Jesus
educador - manoeljesus.blogspot.com

Pouco antes do golpe de 1964, davam-se como certas as eleições presidenciais em 1965. Um dos candidatos era Brizola, que os adversários diziam não poder entrar na disputa pois era cunhado do então presidente Jango. Seus partidários, então, cunharam uma preciosidade de slogan: “Cunhado não é parente, Brizola pra presidente”!

Ao terminar meu último texto citava a seguinte frase: “Ter um lugar pra ir é lar. Ter alguém para amar é família. Ter os dois é benção”. Referência ao que se idealiza como família, mas também ouvi a afirmação carregada de pesar: “Parentes são pessoas com vínculos sanguíneos, que obrigatoriamente não constituem ‘família’”.

Completava: parentes, muitas vezes, convivem enquanto há interesses ou um elemento comum. Família são laços que se criam em que há uma necessidade mútua, um sentimento de que, na ausência, cada um perde um pouco.

Se olhar apenas no dicionário, não há muito sentido, mas com uma observação superficial do que se vê nas casas é possível identificar que, em muitos casos, é apenas um abrigo temporário para um grupo de convivência que, obrigatoriamente, não vai ter o sentimento de pertença e corresponsabilidade.

Um dos elementos que aparecem quando há uma estrutura bem definida é o de um agregador, que, na maior parte, é um dos pais ou um irmão mais velho. Quando se ausentam, mesmo morando na mesma cidade, o reencontro torna-se difícil. Irmãos afirmam que somente voltaram a se ver em visitas de hospitais ou velórios e enterros.

Semana passada bateu o saudosismo motivado por cheiros familiares: fritura lembrando roda de carreta e café com leite; parreira impregnando a calçada com o perfume da uva madura e ar úmido; e, numa noite, finalmente, a dama da noite carregou minúsculas flores e tomou conta da quadra com saboroso perfume de mel.

Família não é a racionalização de uma fórmula. Há sentidos envolvidos, elementos que fizeram a história de cada um, relações bem ou mal resolvidas, entre eles os cheiros da infância e da juventude. Mostrando que o melhor ainda é viver possíveis momentos de felicidade.

Família é lugar para cuidar e ser cuidado. Omissões geram ausências e sofrimentos. Com os familiares ficam pelo caminho amigos e a sensação de que podia ter sido diferente.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados