Pix em 2024

Em 2024, Pix deve ultrapassar cartões em número de transações

Dados do Banco Central do Brasil mostram crescente popularidade do Pix. Meio de pagamento deve ultrapassar o uso de cartões em geral em 2024.

O Pix tem ganhado destaque como método de pagamento em diversos setores e sua participação nas transações financeiras pode ultrapassar os 40% no segundo trimestre de 2024.

O Pix está se preparando para ultrapassar os cartões tradicionais em número de transações em 2024, de acordo com dados do Banco Central do Brasil relacionados a meios de pagamentos de varejo e transferências de crédito utilizados no país.

O sistema de pagamento instantâneo, que deve ser um dos favoritos para compras no varejo neste Natal, também tem favoritismo em outros cenários. Em sites de cassino, por exemplo, o Pix, assim como outros métodos de transferência financeira, é empregado tanto para o depósito de fundos na conta destinada às apostas quanto para o saque de eventuais ganhos.

Uma pesquisa da ENV Media indica que o meio de pagamento se destaca nesse contexto. O Pix foi apontando como o método de transação predileto no mercado que inclui jogos como caça-níqueis, pôquer e blackjack online, nicho que tem ganhado popularidade no Brasil.

O Pix se destaca também como o principal meio de pagamento para microempreendedores individuais (MEI), sendo preferido por 52%, de acordo com uma pesquisa do Sebrae e IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), conduzida no período de 24 de abril a 2 de maio. Além disso, nas micro e pequenas empresas, o sistema lidera com o cartão de crédito, representando 27% das preferências.

No segundo trimestre de 2023, o Pix destacou-se como principal meio de pagamento em termos de quantidade de transações, segundo dados no site do Banco Central do Brasil. Em gráfico consolidado, no entanto, que engloba sistemas semelhantes, incluindo diversas modalidades de cartões, o Pix ocupa a segunda posição, aproximando-se do volume combinado de transações realizados por meio de cartões de crédito, débito e pré-pagos.

Em gráficos que consideram o volume das transações financeiras, transferências bancárias lideram no período. O Pix aparece em terceiro lugar na classificação, atrás de pagamentos via boleto, convênio e débito direto.

Os gráficos disponíveis no site do Banco Central do Brasil indicam que o Pix é preferido para transações de menor montante e despesas cotidianas e destacam o rápido crescimento do sistema desde seu lançamento há apenas três anos.

Apesar de movimentar volumes menores individualmente, o Pix está conquistando um espaço significativo nas preferências dos usuários, o que se evidencia pelo seu crescimento percentual de participação em transações financeiras em menos de três anos.

Considerando dados referentes aos segundos trimestres, em 2021, o Pix representava 13% de todas as transações no Brasil, em 2022, 26% e, em 2023, a participação cresceu para 36%. Se a tendência de crescimento do Pix persistir, é plausível que sua participação ultrapasse a marca de 40% em 2024, consolidando ainda mais sua presença no cenário financeiro nacional.

Quantidade de transações no segundo trimestre de 2023

Pix: 9.432.939,30

Cartão de crédito: 4.433.413,64

Cartão de débito: 3.929.424,66

Cartão pré-pago: 2.405.701,23

Débito direto: 2.371.223,65

Boleto + convênio: 2.229.846,25

Saques: 787.618,10

Transferências intrabancárias: 273.178,02

TED: 216.822,17

Outros (DOC + TEC + cheque): 68.660,23

Quantidade de transações no segundo trimestre de 2023 (consolidado)

Cartões (crédito + débito + pré-pago): 10.768.539,53.

Pix: 9.432.939,30.

Pagamentos via boleto, convênio e débito direto: 4.601.069,90.

Saques: 787.618,10.

Transferências (TED + DOC + TEC + cheque + transferências intrabancárias): 558.660,42.

Valores por meio de pagamento no segundo trimestre de 2023

TED: 10.635.242,03.

Transferencias Intrabancarias: 4.737.819,83.

Pix: 3.902.196,11.

Boleto + convênio: 3.163.801,03.

Débito direto: 1.326.318,64.

Saques: 634.479,68.

Cartão de crédito: 561.727,28.

Outros (DOC + TEC + cheque): 243.236,91.

Cartão de débito: 238.129,95.

Cartão pré-pago: 62.663,49.

Valores por meio de pagamento no segundo trimestre de 2023 (consolidado)

Transferências (TED + DOC + TEC + cheque + transferências intrabancárias): R$ 15.616.298,77.

Pagamentos via boleto, convênio e débito direto: R$ 4.490.119,67 milhões.

Pix: R$ 3.902.196,11.

Cartões (crédito, débito e pré-pago): 862.520,72

Saques: 634.479,68.


​Foto: Tim Douglas - Pexels



Carregando matéria

Conteúdo exclusivo!

Somente assinantes podem visualizar este conteúdo

clique aqui para verificar os planos disponíveis

Já sou assinante

clique aqui para efetuar o login

Expectativa pelo Brasileirão 2024 já agita os torcedores Anterior

Expectativa pelo Brasileirão 2024 já agita os torcedores

Deixe seu comentário